Jesus Nasceu

"Ela dará à luz um filho, e você deverá dar-lhe o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos seus pecados." (Mateus 1:21)

O nascimento de Jesus foi amplamente anunciado pelos profetas e até mesmo os magos do oriente sabiam a Seu respeito, ao ponto de viajarem para encontrá-lo e adorá-lo.

O mundo aguardava a chegada do Príncipe da Paz. O povo Judeu estava ansioso pela chegada do Messias, o Redentor de Israel, Aquele que tiraria toda a dor e implantaria um Reino de Justiça e Paz.

Este Messias lutou a favor dos oprimidos e menos favorecidos, como por exemplo a mulher cananeia à beira do poço, a adúltera, os cegos, os coxos, os paralíticos, os leprosos e muitos outros.

Um olhar de amor e compaixão aos excluídos pelo mundo, que ou não reuniam as condições necessárias aos olhos mundanos ou então não dispunham da saúde necessária, ou ainda, não compartilhavam dos mesmos valores dos religiosos da época.

Como um rio que flui na direção do oceano, assim o mundo segue uma ordem, e como os gravetos ficam à margem do rio, assim também o mundo coloca de lado muitas pessoas que não preenchem os seus requisitos.

Num mundo em que competir e vencer é a principal motivação, todos que tropeçam são colocados de lado. O Messias, Jesus, o Cristo, o Filho de Deus, veio para todo aquele que necessita, levando Seu amor e compaixão.

A Palavra de Deus diz que no final dos tempos o amor esfriaria no coração de muitos, e o pragmatismo deste nosso mundo atual precisa deixar de lado o amor para que possa vencer.

— Por que vou olhar para o necessitado ao lado e estender a mão a ele, se preciso entregar o meu trabalho que irá me conduzir à uma promoção ou a ganhar minha participação nos resultados anuais da companhia?

— Deixa isto para quem tem tempo! Pensa o executivo e a mulher de negócios.

— Hoje há muitos necessitados diante da atual situação econômica, mas como minha condição de vida mudou, fiquei mais apertado, então também não vou ajudar, assim posso manter minha "qualidade" de vida. Pensa um outro tanto de pessoas.

Estes pensamentos e atitudes esfriam o amor em nossos corações e entramos numa roda viva que parece sugar nosso tempo, energias e disposição.

É para pessoas como estas que Jesus veio ao mundo, para colocar o amor em seu coração e mudar sua forma de pensar e agir.

Quando este ciclo de comportamento entra no casamento, então já não são uma só carne como diz a Palavra, mas sim dois, um homem e uma mulher em seu estado natural, diferentes entre si, com anseios e desejos que diferem desde geneticamente até emocionalmente.

Nas bodas de Caná da Galileia, talvez ocorresse o primeiro problema conjugal daquele novo casal, pois acabara o vinho da festa, e o vinho parecia ser uma responsabilidade do noivo pelo que tudo indica.

— Eu disse para você que era melhor comprarmos mais alguns odres de vinho, que estes não seriam suficientes! Diz a jovem esposa.

— Mas dava, é que o clima ficou propício para beberem vinho e dai furou nossa previsão, e além disto veio mais gente que o esperado. Diz o marido.

Todos os ingredientes para um grande problema estavam estabelecidos. Quando Jesus fez aquele milagre e transformou água num ótimo vinho, salvou a festa e um casamento.

Quando nós permitirmos que Jesus entre nas situações da nossa vida profissional, emocional e matrimonial, Ele faz algo excelente e saímos da situação muito melhores, renovados e nos sentindo muito bem.

Que neste Natal, a data que convencionamos comemorar Seu nascimento, você possa trocar presentes com todos a quem ama, mas sobretudo, estender sua mão a quem lhe machucou, assim você vai quebrar este ciclo, e o amor de Cristo estará presente em seu coração, na sua casa, na sua família e nos seus relacionamentos.

PARA EXERCITAR COM MINHA FAMÍLIA

"Pai celestial, perdoe-me por todas as vezes em que o amor de Cristo foi sufocado pelos problemas e situações do dia-a-dia. Quero deixar aos pés da cruz tudo o que me machucou neste ano, para que neste Natal Seu amor preencha meu coração e o faça transbordar de amor, compreensão e carinho por quem está próximo de mim. Amém!"

Luis Antonio Luize

Obediência e Respeito

Então, chamando-os novamente, ordenaram-lhes que não falassem nem ensinassem em nome de Jesus. Mas Pedro e João responderam: “Julguem os senhores mesmos se é justo aos olhos de Deus obedecer aos senhores e não a Deus. Pois não podemos deixar de falar do que vimos e ouvimos”. (Atos 4:18-20)

As pessoas em geral tendem a agir do seu próprio modo, pela sua própria idéia. Quando falamos de relacionamento conjugal, em que o marido e a esposa possuem características diferentes em todos os aspectos, afinal são homem e mulher, então as opiniões diferem muitas vezes até por natureza.

Qualquer pessoa pode desobedecer uma ordem que seja contrária ao que pede uma autoridade superior. Um exemplo está nos versículos acima em que os sacerdotes pedem a Pedro e João que não falassem mais sobre Jesus. A resposta deles é clara: não farão algo contrário ao que Deus lhes pede, pois Ele é uma autoridade maior que eles.

Outro exemplo bíblico é o caso das parteiras do Egito que tinham ordens de matar todos os meninos judeus. Não fizeram isto por temer a Deus e foram abençoadas, como podemos ler em Êxodo 1:5-21.

Na maioria das vezes uma ordem do marido não parecerá tão claramente violadora de uma ordem superior. Pode haver apenas diferenças de entendimento, e neste caso, o correto não é desobedecer, mas sim procurar entender as motivações que levaram a este pedido por parte do esposo.

Para isto questione-se com duas perguntas bem simples:

Conjugado a isto está o grande desafio da mulher, que não é amar ao seu marido, mas sim continuar respeitando-o ao longo da vida conjugal.

A esposa idealiza um príncipe encantado que seja: forte, cortês, delicado, amoroso, sensível, protetor, provedor, e por aí vai. Mas, na vida real, descobre que seu marido é um homem comum, com qualidades e defeitos e então vem a tentação de desrespeitá-lo nas suas decisões e atitudes.

Muitas esposas se acomodam numa posição crítica constante, e todas as decisões e atitudes dele passam a ser criticadas e desqualificadas. Não é o caso de justificar os erros ou a conivência com os pecados e falhas na vida dele, mas trata-se da perda de respeito por parte dela.

Esta situação leva muitos casais a conflitos sérios, pois o homem que possui o desafio de amar sua esposa e demonstrar isto continuamente, se ressente e deixa de demonstrar amor, iniciando um destrutivo ciclo de falta de amor e respeito. A esposa desrespeita e o marido não ama, seguido de mais desrespeito e menos amor.

Algumas formas de desrespeito para o homem são:

Para parar esta roda destrutiva um dos lados precisa ceder primeiro, interrompendo o ciclo de desonra. Normalmente as mulheres são mais sensíveis e ao se conscientizar deste ciclo podem pará-lo e iniciar um ciclo de honra e benção.

A forma de parar este ciclo é começar a comunicar respeito:

Ao agir assim a esposa estará quebrando aquele ciclo e iniciando uma nova fase em sua vida conjugal, um ciclo de amor e respeito, pois certamente seu esposo lhe retribuirá com amor e carinho, que é exatamente o que a esposa sempre desejou dele.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, perdoe-me por todas as vezes em que desrespeitei meu marido, percebendo ou não o que fazia. Hoje eu entendo que isto o magoa. Que através do perdão seu coração seja limpo de toda amargura para que tenhamos um relacionamento harmonioso e abençoado. Amém!"

Luis Antonio Luize

A Visão Moderna da Submissão

“Mulheres, sujeite-se cada uma a seu marido, como convém a quem está no Senhor.” (Colossenses 3:18)

Semelhantemente ao homem, Deus coloca desafios para a esposa. Se ao homem está posto o desafio da liderança com amor e cuidado, à mulher está a questão da submissão.

A palavra submissão, por si só, já suscita sentimentos complexos em muitas mulheres e em muitos homens também.

Primeiro vamos entender o significado da palavra. Missão: vocação, alvos, objetivos. Sub: debaixo de. Logo, submissão significa algo como ter sua própria missão ligada à missão de alguém, no caso do marido. Se o esposo está liderando a família como Deus lhe pede, então ele possui uma missão clara e saberá orientar sua esposa para que juntos possam chegar ao cumprimento do que lhes foi solicitado.

Por outro lado, se a liderança masculina está ofuscada, pálida ou inexistente, haverá muito espaço para discutirem qual é a missão, e poderá haver problemas, pois “visão + visão = divisão”, ou seja, opiniões e decisões diferentes ao invés de ajuntar irão levar ao distanciamento do casal.

Não há nada contra a liderança feminina, mas observa-se que a grande maioria das mulheres sofrem muito no exercício da liderança, enquanto o esposo foi criado por Deus para isto e possui as características físicas e emocionais necessárias para a atividade.

Uma boa parte dos casamentos arruinados é porque o marido não assume seu papel de liderança ou porque a esposa não aceita a missão do marido e rebela-se contra a liderança. Fugir do chamado iguala o marido ao profeta Jonas, que fugiu para longe de Nínive e daquilo que Deus queria que ele fizesse, enquanto rebelar-se contra o marido é como rebelar-se contra Deus que o colocou neste papel.

Portanto, a esposa como ajudadora, pode e deve auxiliar o marido para que assuma sua posição de liderança e render-se à mesma de maneira inteligente e humilde.

Submissão não é não ter opinião própria, ser escrava do marido, ser desvalorizada por ele ou ainda não ter suas sugestões consideradas.

Ao submeter-se à liderança masculina, a mulher torna-se mais feminina, retira-lhe o cansaço e a tensão sofrida no dia-a-dia. Com isto, o seu marido irá mudar. Provérbios 21:1 diz que Deus pode mudar o coração do rei como quer.

Empregando este versículo minha esposa orou a Deus pedindo que eu lhe levasse flores, rosas amarelas. Bem, ela já tinha se cansado de dizer que queria flores, e ao encontrar este versículo resolveu testar se funcionava.

De repente fui inundado por um desejo de dar flores a ela. Naquele dia cheguei em casa com rosas amarelas.

Ela ficou duplamente feliz, por receber as flores e por ter sua oração ouvida. Então me falou do versículo e dai em diante passamos a sempre pedir a Deus o que desejamos um no outro. Isto tem nos poupado de discussões e brigas sem resultado, ao mesmo tempo que, ao pedirmos algo a Deus, somos confrontados com nossas próprias atitudes, o que faz com que ambos sejam edificados e aperfeiçoados.

Concluindo, apesar de todas as mudanças culturais da atualidade, principalmente em relação aos papéis do homem e da mulher, sempre haverá um que precisa estar na liderança, caso contrário não haverá unidade e, consequentemente, ocorre a fragmentação e destruição do lar. Pode demandar pouco ou muito tempo, mas ocorrerá.

Em cima disto, mesmo com o crescimento dos papéis da mulher, esta, assim como seu marido, devem entrar em acordo sobre a liderança do lar, para evitarem conflitos desnecessários.

Minha recomendação é para que seja conforme está definido na Palavra e lemos no versículo acima, pois é da forma que Deus idealizou para o casamento e, portanto, tem a Sua benção, tanto para o esposo como para a esposa.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, perdoe-me por todas as vezes que esqueci-me de meu esposo como aquele que o Senhor colocou para me proteger, cuidar e prover, e o desrespeitei. Que a Sua Graça recaia sobre a minha vida para que possa compreender Teu desejo para a família e assim sejamos edificados. Amém!"

Luis Antonio Luize

O Líder Que Cuida

"Além do mais, ninguém jamais odiou o seu próprio corpo, antes o alimenta e dele cuida, como também Cristo faz com a igreja." (Efésios 5:29)

O marido como líder é aquele que alimenta e cuida. Neste texto o apóstolo compara Cristo com o Marido e a Igreja com a Esposa. Neste sentido, da mesma forma que a igreja necessita de Cristo, pois a Ele recorremos sempre que precisamos, e Ele nos cuida e provê as nossas necessidades, assim também o é em relação ao esposo e esposa.

O sentido de alimentar aqui neste texto traz o significado de "suprir as necessidades físicas e materiais dela". O marido deve observar as necessidades de alimentação, vestimenta e estado físico da sua esposa e dos seus filhos.

Não raro, os maridos desejam que suas esposas não gastem muito, e sequer verificam se estas possuem necessidades tão básicas como suas roupas íntimas, mas a querem cheirosa e atraente nos momentos a sós. Desejam-na bem arrumada com um belo vestido, mas não lhe dão algo para vestir que acham bonito nela. Conheço um pastor amigo meu que costuma dizer que "mulher amada é mulher cara".

Soube estes dias de um ocorrido em determinada família que mostrou-me o grau de descuido de alguns homens para com os seus. Certo esposo perguntou à esposa o que havia para o almoço, no que ela respondeu que era macarronada. Ele simplesmente saiu e foi almoçar numa churrascaria, enquanto ela e os filhos ficaram em casa.

Além disto, o marido deve cuidar dos seus. Este cuidar tem o sentido equivalente à ilustração da mãe que cuida do seu bebê com toda a afeição, ou da galinha que acolhe seus pintinhos embaixo das asas para que nada lhes aconteça.

Portanto, este cuidar não se restringe a suprir as necessidades materiais dela e da casa, mas em promover a saúde emocional e espiritual.

Um esposo equilibrado irá influenciar positivamente toda sua família e exercerá uma boa liderança. Já aquele desequilibrado em suas atitudes irá semear a insegurança e a desconfiança.

É preciso estar atento ao equilíbrio emocional dela. É certo que isto se altera a cada período do mês, mas considere que as alterações hormonais também a atingem, e que muitas vezes ela estará apenas desejosa de um ombro para recostar-se.

Todos nós temos inseguranças que podem ter surgido em nossa vida desde o nascimento, ou então terem sido aprendidas ao longo da vida pelas experiências ruins que experimentamos. Cada pessoa é única e reagirá de forma diferente aos acontecimentos da sua vida.

Algumas esposas podem ter desenvolvido uma insegurança. Por exemplo, se ela experimentou um abandono emocional em certa fase da vida, poderá estar insegura quanto à continuidade do relacionamento com você, e alguma atitude sua pode dar a impressão de que não deseja a continuidade do relacionamento, desestabilizando a harmonia conjugal.

Proteja-a diariamente, observe o que ela necessita e lhe dê o apoio necessário, conforte-a quando está deprimida, saia junto com ela para passear e terem um momentos de lazer a dois.

Sobretudo esteja atento aos ataques malignos sobre a vida dela e defenda-a espiritualmente. Ore todos os dias com ela exercendo sua autoridade espiritual sobre o lar, colocando cada necessidade e cada fonte de ansiedade e stress diante de Deus.

A lista de características ideais de caráter para o homem de Deus está descrita em 1 Timóteo 3:2-7 e Tito 1:6-8. Compreende ser:

Devo concordar que a lista é extensa e que mesmo sendo ideal, muitos de nós como maridos estamos bem distantes disto, mas considerando esta Palavra como uma direção a seguir, um norte, vamos convidar o Senhor Jesus para nos ajudar e vamos iniciar a jornada para o nosso aperfeiçoamento conjugal e pessoal.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

"Pai celestial, perdoe-me por todas as vezes que esqueci-me de cuidar e alimentar a ajudadora que me concedeu. Que a partir de agora teu Espírito Santo me oriente em como agir a cada dia para atingir Teu padrão de liderança e de homem de Deus. Amém!"

Luis Antonio Luize

O Líder Amoroso

“Maridos, ame cada um a sua mulher, assim como Cristo amou a igreja e entregou-se por ela para santificá-la, tendo-a purificado pelo lavar da água mediante a palavra, e para apresentá-la a si mesmo como igreja gloriosa, sem mancha nem ruga ou coisa semelhante, mas santa e inculpável.” (Efésios 5:25-27)

Os versos acima apresentam à liderança masculina o desafio do amor Ágape, que é o amor doação. Este tipo de amor somente pode ser exercido por alguém após aceitar Jesus, que foi o doador da vida a toda humanidade. Ao aceitarmos seu sacrifício nos tornamos iguais a Ele e também podemos amar sacrificialmente.

Sendo o homem um ser competitivo e constantemente atraído por novos desafios, enquanto ele não sente que conquistou sua mulher, ele demonstra carinho, atenção e amor de diversas formas. Quando alcança este alvo, casando-se, muitos deixam de expressar seu amor pela esposa e passam a novos alvos, tais como: filhos, carreira, ministério, etc.

Depois do casamento, a maioria dos homens demonstra amor apenas nos momentos de intimidade conjugal e entende que isto basta, mas não é assim para a mulher.

É devido a isto que Deus ressalta a necessidade do amor à esposa, Ele não diz isto à mulher, mas somente ao homem, pois o Criador conhece a sua criação.

Para exercer o amor ágape o homem deve amar sua esposa como Cristo amou a igreja. Ele amou mesmo sem ser amado, de maneira sacrificial, e com um propósito. Amou totalmente, sem restrições e sem desistir, até o fim, não importando a situação.

O esposo deve amar sua esposa de forma a torná-la santificada, pura e madura. Isto exige conviver com ela e ensinar-lhe o caminho da santificação, logo, não é uma liderança autocrática e exigente, mas amorosa e humilde.

O marido deve purificar sua esposa pela Palavra, pois compete ao marido obter a direção da parte de Deus e repassar à sua esposa para que ambos possam caminhar na direção apontada pelo Senhor. Caso contrário, ela não poderá ser auxiliadora nesta missão desconhecida.

O amor do marido deve fazer com que a esposa seja gloriosa perante os olhos de Deus e espiritualmente madura. Certa ocasião reclamava para Deus acerca de uma atitude da minha esposa, quando fui interrompido pelo Espírito Santo que me disse que era meu dever orientar minha esposa sobre este assunto, que eu deveria ensiná-la e santificá-la. Disse mais, que ela agia assim porque eu não estava fazendo a minha parte como marido.

E para facilitar a aplicação deste ensino, vou citar algumas maneiras práticas deste amor:

Maridos, amem suas esposas como Cristo amou a Igreja e vocês terão uma vida abençoada.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, perdoe-me por todas as vezes que esqueci-me de amar a ajudadora que me concedeu. Que a partir de agora teu Espírito Santo me oriente em como agir a cada dia para atingir Teu padrão de liderança amorosa. Amém!"

Luis Antonio Luize

Prioridades Na Liderança

“Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas serão acrescentadas a vocês.” (Mateus 6:33)

Se há um assunto no qual os homens, como líderes, têm errado com frequência, é o das prioridades.

O bom líder colocará na ordem correta as suas prioridades, de forma a realizar o que a ele foi confiado. Nada diferente do líder cristão, no caso o esposo e pai.

Muitos homens confundem sua prioridade principal com trazer o sustento para casa, pensando que Deus os amaldiçoou com o trabalho. Porém, tudo parece indicar que o homem já trabalhava antes da queda no Jardim do Éden, só que não se cansava. Lá no jardim ele também dava atenção à sua esposa e a Deus.

Sempre que Telma e eu aconselhamos casais, a esposa reclama que seu marido trabalha muito e dá pouca atenção em casa. Isto demonstra a necessidade de que a liderança masculina deve alinhar suas prioridades com a vontade de Deus para o casamento.

Como trabalho em uma empresa além de ministrar na igreja, certa ocasião em que me debatia com as atividades empresariais versus atividades familiares e ministeriais, ou seja, a correta priorização, recebi diretamente da parte do Espírito Santo o versículo acima, deixando claro que deveria buscar a Ele primeiramente.

Nosso Senhor me afirmou que ao dedicar tempo a Ele, as demais coisas ocorreriam na minha vida. Passei então a aprender sobre como priorizar, o que exige um exercício diário, pois se descuidarmos cairemos em algum ponto destes.

A primeira prioridade deve ser portanto, nosso relacionamento com Deus. Se não houver relacionamento com Deus, tudo o mais não fará muito sentido e pode não correr da maneira como imaginamos. Tanto é que Jesus, ao nos ensinar a orar, disse “dá-nos o pão nosso de cada dia”, significando que nosso ganho deve ser submetido a Deus diariamente para que Ele nos ajude.

Quando Ele nos ajuda nisto, as demais coisas serão arrumadas, ou seja, teremos todas as prioridades ajustadas na sua ordem correta, pois Ele nos ajudará também nisto.

Dedicaremos tempo às nossas esposas, aos nossos filhos, às relações de trabalho, ao ministério e às demais pessoas do nosso relacionamento.

Por outro lado, sempre que esta ordem se inverter por uma ou outra razão, acumularemos o stress de não termos atendido alguma prioridade diária, o que vai nos trazer um aumento do deficit de atenção às pessoas.

Para ajudar-nos em como agir, podemos usar a lista do antes:

Pessoas antes de coisas;
O lar antes da carreira profissional;
A esposa antes dos filhos;
Os filhos antes dos amigos;
A esposa antes de si mesmo, e
Coisas espirituais antes das coisas materiais.

Os maridos pensam que saciar as necessidades materiais da sua família é uma demonstração de amor e boa liderança. Acabam ficando surpresos quando percebem que não é assim. Algumas vezes tarde demais.

Se você está vivendo esta situação, pare imediatamente e priorize sua vida antes que seja tarde e você perca o que mais estima na vida.

Caso não paremos este círculo vicioso, o resultado será desastroso, pois alguns relacionamentos podem se deteriorar ou mesmo, em casos extremos, se romperem.

Lembre-se, Jesus quer te auxiliar na liderança. Portanto, submeta todas as suas necessidades, problemas, ansiedades, esperanças e planos a Ele. Você vai se surpreender como sua vida ficará melhor.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, perdoe-me por ter andado de forma a não dar a devida atenção aos que amo, priorizando-os em detrimento de outras coisas. Peço que me ajude a priorizar minha vida conforme Tua Palavra. Amém!"

Luis Antonio Luize

A Liderança

“Seja a atitude de vocês a mesma de Cristo Jesus, que, embora sendo Deus, não considerou que o ser igual a Deus era algo a que devia apegar-se; mas esvaziou-se a si mesmo, vindo a ser servo, tornando-se semelhante aos homens.” (Filipenses 2:5-7)

A maioria das pessoas entende liderança como dar ordens que sejam obedecidas, sejam elas claras e objetivas, sejam sensatas ou não, ou sendo que quem mandou faz daquele jeito ou não. De fato, a isto chamamos de autoritarismo.

Liderança é a capacidade de saber aonde vai e levar sua família consigo, e é um resultado daquilo que você é e faz. A isto damos o nome de discipulado.

Portanto, ao homem é dada a responsabilidade de, submetendo-se a Cristo, receber a orientação do caminho a seguir e levar sua família junto. Foi assim com Abraão que, recebendo o comissionamento de Deus para ir a um local distante e desconhecido, reuniu os seus e partiu. Ele não mandou alguém no seu lugar e nem mandou sua esposa ir sem ele, mas fez primeiro e os demais o seguiram.

Nossa sociedade tem mudado este conceito e tem colocado do ponto de vista do homem mandar, mas há hoje em dia uma escassez de senso de direção, de saber para onde ir. Muitos homens estão perdidos sem saber o que fazer e querem apenas ser obedecidos cegamente.

Desculpem colegas do gênero masculino, mas isto está errado!

Ao homem compete buscar a presença de Deus e saber qual o propósito e destino tanto seu como de sua família e ir na frente. Isto exige buscar a Deus em jejuns e oração, mas é muito mais fácil sentar-se no sofá e assistir o jogo na televisão.

Além disto, Cristo foi o maior líder que conhecemos. Ele serviu aos seus discípulos, ao povo em geral e à sua família. Disse a Pedro que deveria lavar os seus pés, algo bastante simples e reservado aos empregados, mas ele fez questão de fazer primeiro.

Este mesmo Cristo diz por intermédio de Paulo que somos cabeça da mulher, assim como Ele é a cabeça do homem. Ora, se a cabeça do homem serviu ao homem e não lhe deu ordens, mas fez de tudo para que este fosse amado, sarado, curado e liberto a tal ponto de morrer pelo homem, então não podemos de forma alguma exercer uma liderança diferente desta para com nossa esposa e nossos filhos.

O esposo deve exercitar a liderança com amor através de maneiras práticas. O esposo também é o responsável pelo clima do lar e isto é bem simples de perceber. Quando a esposa está em casa com os filhos e tudo está calmo, de repente chega o marido do trabalho todo agitado. Pronto, a casa se transforma, e aquela tranqüilidade vira uma agitação só. Isto acontece porque as emoções do homem se transmitem para toda a família, este é um aspecto da autoridade e responsabilidade que está sobre o homem.

A disciplina dos filhos deve ser exercida primeiro pelo marido e não pela esposa. Como muitos maridos se isentam desta responsabilidade, as mães ficam o dia todo com os filhos e acabam fazendo o que seja necessário para educá-los, enquanto os maridos apenas usufruem do que estas fizeram.

Esta autoridade se estende ao exemplo de boa administração das finanças familiares. Ele não pode pedir a todos que economizem e ele mesmo vai e gasta com o que gosta enquanto a casa está precisando de reparos, a esposa de um vestido e os filhos de roupas e calçados.

Sobretudo, o esposo é responsável pela vida espiritual da família, pastor do seu lar. Tem muita gente querendo ser pastor para ter o título, o status. Mas todo marido é o pastor da sua família e se ele e sua família seguem a Cristo, então ele fez bons discípulos, é digno de honra e tem exercido sua liderança da maneira como Cristo espera.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, a liderança que me concedeu só pode ser exercida em Ti. Perdoe-me por todas as vezes que fui além do que me era exigido e machuquei meus familiares. Peço que me ajude a exerce-la conforme Cristo fez com a igreja. Amém!"

Luis Antonio Luize

Casamento é Interdependência

"Sujeitem-se uns aos outros, por temor a Cristo." (Efésios 5:21)

Muito se tem dito e escrito a respeito do casamento, sendo que algumas vezes se chega a conclusões erradas devido à análise isolada dos papéis e responsabilidades do marido e da esposa.

O texto do capítulo 5 de Efésios é muito rico sobre este tema e deve ser analisado na sua completude e não de forma isolada.

Bastante se fala sobre a submissão da esposa ao marido, mas antes de tratar das responsabilidades de cada um o apóstolo Paulo inicia tratando da submissão mútua, ou seja, que ambos são iguais diante de Cristo Jesus e devem se submeter um ao outro.

Se não houver esta sujeição à Cristo, tudo o mais que possa ser dito a este respeito não passa de um acumulado de regras sem sentido que somente nos levará à ruína.

Além disto, este conjunto de orientações é analisado de forma intercalada pelo apóstolo. Por exemplo, não há como entender a submissão da esposa ao marido sem analisarmos o caráter de liderança que se exige do marido.

O fato é que a vida conjugal com seus princípios e mandamentos para o marido e para a esposa não podem ser tratados de forma isolada, pois são a face de uma mesma moeda. Uma face de uma moeda não pode existir sem a outra face - sem uma das faces não há moeda.

Tanto esposo quanto esposa possuem a mesma posição em Cristo, são filhos de Deus, claro que, desde que sejam cristãos autênticos, tendo nascido de novo em Cristo. Portanto, são iguais em Cristo, sem distinção, podendo também cada um ter os seus dons espirituais. Naturalmente, o Deus Todo-Poderoso lhes dará dons complementares para que possam fazer mais no Reino de Deus quando em unidade.

Relativamente a isto, são irmãos em Cristo e devem também amar-se com a característica do amor fraternal, que é bastante tratado na Palavra de Deus. Significa que no dia bom, os cônjuges devem amar-se um ao outro com alegria. No dia mal, devem exercer o mesmo amor de Deus Pai que nos concedeu Jesus quando éramos inimigos Dele e estranhos. Quando fazemos isto acumulamos brasas vivas sobre a cabeça do nosso cônjuge, o que será benção para nós e para o casamento.

Quando chegamos às funções e responsabilidades, começa uma distinção. A Palavra cita o marido como cabeça do lar e a esposa como auxiliadora. Observe que há uma necessidade natural de que as funções sejam distintas, senão não se conseguirá obter a unidade. É assim em qualquer local onde reúnem-se algumas pessoas para realizar algo.

E o casamento tem como objetivo, entre outros, de criarmos em um lar amoroso os nossos filhos sendo exemplos de amor e compreensão mútua.

As responsabilidades também são distintas, de forma que não haja sobreposição de atividades e tampouco atividades não realizadas que deixariam lacunas no lar.

Ao esposo cabe liderar, amar, alimentar e cuidar. Hoje em dia, muitos maridos têm se esquivado desta responsabilidade, amedrontados pela incerteza futura, esquecendo-se de que este papel é comparado ao de Cristo, e que Ele mesmo auxilia o marido a cumprir seu papel.

De outra parte, à esposa cabe submissão à liderança, o respeito e a beleza interior e exterior, sendo esta semelhante à uma noiva, que se prepara para encontrar o noivo, o qual compara-se à igreja de Cristo.

Alguns podem se sentir desconfortáveis com esta lista de responsabilidades, mas explanarei cada uma delas mais à frente e ficará claro o sentido, o contexto e a importância de cada uma.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, que meu relacionamento conjugal esteja plenamente alinhado à Sua vontade e à Sua Palavra. Reconheço que durante algum tempo andei longe disto e acumulei situações indesejáveis e difíceis sobre meu casamento. Que com Seu auxílio eu possa me realinhar ao teu plano. Amém!"

Luis Antonio Luize

Como Sair de Dívidas

"Há quem dê generosamente, e vê aumentar suas riquezas; outros retêm o que deveriam dar, e caem na pobreza. O generoso prosperará; quem dá alívio aos outros, alívio receberá." (Provérbios 11:24,25)

Quando já estamos numa situação financeira complicada, a primeira coisa a fazer é parar de gastar, ou, como dizem, se estiver num buraco pare de cavar.

Na maioria das vezes que ficamos maus financeiramente é porque gastamos além da conta, raramente há outros motivos para isto. Sugiro aqui alguns passos simples para ajudar neste momento.

Procure sair da dívida - você precisa assumir o compromisso com você mesmo de querer sair da situação e pagar o preço que for necessário para isto, ou seja, viver com menos durante um bom tempo. Serão alguns meses ou anos “magros”, mas você parará de gastar e aprenderá a viver com menos. Você vai se surpreender em saber como pode viver com menos! Tenha disciplina, isto lhe ajudará nesta caminhada.

Estabeleça prioridades nas compras - jogue fora todo o orgulho e compre somente o necessário. Aprenda a distinguir entre necessidades e desejos. Faça perguntas a você mesmo:

Não tome dinheiro emprestado - você está procurando sair das dívidas, não as aumente ainda mais. Viva com o que tem recebido e só.

Pague tudo que é devido - seja honesto em seus negócios e na sua palavra e pague tudo. Negocie com os credores, é muito melhor receber uma visita ou ligação de alguém dizendo que quer pagar e deseja negociar do que “sumir”. Esta fidelidade pode e deve começar a ser exercida na contribuição a Deus e sua obra.

Faça um plano financeiro familiar - envolva a família na elaboração deste plano. Discuta-o com seus familiares e apliquem o plano em conjunto. Você ficará impressionado de como até as crianças vão entender e te ajudar neste período. Esta honestidade e transparência com seus familiares fará com que te respeitem ainda mais.

Já cheguei a fazer uma planilha com 24 meses de informações de entradas e saídas para organizar nossas finanças, o que foi muito importante para nós naquele período.

Não se esqueça da Palavra de Deus e das suas promessas - o versículo acima é a chave da vitória para nós. Quando observamos algumas culturas, vemos que são muito diferentes da nossa. Aqui no Brasil, todos procuram pagar o menos possível para tudo e não se dá algo, mas ao contrário, queremos sempre receber algo. Isto é diferente na cultura norte americana, por exemplo.

Um amigo me disse que foi a um restaurante lá estes dias, e um militar reformado que havia lutado numa guerra estava jantando ali. Quando ele foi pagar a sua conta, três homens se anteciparam e não permitiram que ele pagasse, quando souberam que uma quarta pessoa já havia pago a conta dele.

Que interessante, honraram àquele que havia defendido a nação para que eles não precisassem lutar. Aqui sequer damos valor a quem nos defende.

O povo de Israel também dava voluntariamente a Deus e aos sacerdotes e eram muito abençoados. Mas nosso povo tem o entendimento de que isto será um sacrifício e retém.

Logo, siga todos os passos acima e faça um propósito com Deus de ser generoso para com o que Ele já lhe pediu e com aquilo que Ele vier a lhe pedir. Não tenho dúvidas de que você será abençoado, pois é uma promessa Dele.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, te peço que me ajude a sair das dívidas. Te peço perdão por ter me envolvido em despesas desnecessárias que comprometeram minhas finanças e meu relacionamento. Tomo a decisão de rever minha maneira de agir em relação às finanças e à generosidade. Me dê toda a sabedoria e disciplina necessárias para isto. Amém!"

Luis Antonio Luize

Seja um Grande Credor

"O rico domina sobre o pobre; quem toma emprestado é escravo de quem empresta." (Provérbios 22:7)

Os mais antigos são unânimes em dizer aos mais jovens que a vida hoje é mais fácil, que no passado não se tinha tanta facilidade como temos atualmente. Era difícil ter as coisas, era muito suado.

Esta facilidade deve-se às linhas de crédito que estão disponíveis ao consumidor. Antigamente os bancos eram poucos e as financeiras idem. Para ter uma casa havia uns dois bancos no máximo em que se podia financiá-la e não era nada fácil e nem barato.

Ao longo do tempo os bancos foram aperfeiçoando seus métodos, a legislação a respeito de empréstimos mudou, e as financeiras descobriram como recuperar seu patrimônio para que os bancos não perdessem dinheiro. Com isto, ampliaram-se as linhas de crédito, facilitando a obtenção de bens móveis e imóveis, duráveis e de consumo, e o acesso e disponibilidade a estes passou a ser mais comum.

O objetivo das financeiras e bancos, naturalmente, é obter lucro. Para isto, normalmente capta dinheiro de quem tem e precisa investir, pagando em torno de 0,5% a 1,5%/mês, isto para a poupança e aplicações conservadoras. Do outro lado, empresta para um financiamento a 1,7% a 14%/mês, desde financiamento de carros até cheque especial/cartão de crédito.

A diferença destes dois valores fica com o banco, que trabalha com o dinheiro destas pessoas. Não é a toa, que os bancos estão tendo lucro sobre lucro num momento em que nossa economia está vacilante e o desemprego aumentando.

Com estas facilidades de acesso ao crédito que dispomos hoje, podemos fazer um bom ou mal uso. O bom uso é poder adquirir os bens essenciais e de acordo com as nossas possibilidades, escolhendo as linhas de crédito mais baratas e que estejam de acordo com as nossa possibilidades.

Por outro lado, se não tivermos sabedoria em utilizar aquilo ao qual temos acesso, poderemos nos tornar escravos. Você já deve ter ouvido notícia de pessoas que deviam tanto que resolveram, num momento de fraqueza, dar cabo da sua vida pela impossibilidade de pagá-las; um caso extremo e que jamais deve ser seguido. Mas também ouviu ou sabe de pessoas até próximas que estão mergulhadas em compras pouco úteis, desnecessárias ou imprudentes, por exemplo: vou comprar um carro, então escolho o melhor tipo, o mais caro e parcelo a dívida com uma grande prestação.

Isto é a receita para o desastre, a menos que disponha de uma renda mensal suficiente para isto. Mas se é um assalariado, como fica caso tenha um revés? É preciso refletir para não comprometer o orçamento doméstico só para satisfazer um desejo supérfluo ou por posição social.

Ao fazer assim, muitos tem ficado "atados" ao seu credor e não conseguem mais nem dormir direito. As finanças são um dos maiores fatores de divórcio em muitos países.

Não quero com isto te dizer para não usar os recursos de crédito disponíveis, mas que faça bom uso. Por exemplo, se vai comprar um carro, guarde o dinheiro da entrada para que possa financiar o restante sem juros ou com juros muito baixos, os menores possíveis, e compre um modelo adequado ao bolso da sua família. Quer dizer, faça as contas e não compre por impulso.

Na época do Antigo Testamento, em que o provérbio acima foi escrito, já se emprestava dinheiro, e a juros altos, assim como na época em que o apóstolo Paulo escreveu o texto de Romanos 13:8 em que ele nos exorta a dever apenas o amor.

Portanto, precisamos aprender a lidar com o dinheiro e dividir nossas decisões com nosso cônjuge porque dois pensam melhor do que um, e façam tudo em acordo. Orem juntos e peçam orientação de Deus, que pode vir na forma de uma paz interior e, além disto, consulte alguém que conheça mais do assunto. Tenho certeza que vocês se sairão muito melhor na vida financeira, serão mais felizes, evitarão desentendimentos, serão menos ansiosos sobre o dia de amanhã e, sobretudo, serão servos apenas de Jesus e credor de muito amor daqueles que o rodeiam, inclusive do seu cônjuge.

PARA EXERCITAR COM SEU CÔNJUGE

“Pai celestial, te peço que me dê a sabedoria necessária para dirigir minha vida financeira. Ensina-me e me dê a humildade de buscar conselho com meu cônjuge e com uem for necessário, antes de tomar uma decisão. Te peço perdão por todas as vezes em que não agi assim, e que tudo se torne novo em mim a partir de hoje. Quero ser livre em nome de Jesus. Amém!"

Luis Antonio Luize